quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Perfetta

Sim,
Queria ser perfeita, como uma parede branca acabada de pintar... ou já com alguns anos, mas ainda assim, imaculada, perfeita.
Queria ser como todas as (pessoas) que tu vês. Queria ser o que elas (te mostram que) são, perfeitas.
Queria ser só sorrisos, ter um sorriso lindo todos os dias para ti, um sorriso perfeito.
Queria dizer-te (sempre) sim, que bom, é isso mesmo, óptimo, perfeito.
Queria não precisar de dizer a verdade, dizer (só) o que queres ouvir, o que eu sei (e tu também sabes) perfeitamente que queres ouvir; és perfeito.
Queria acreditar (sempre) em mim e em ti, confiar-te (se não mos tivessem roubado já) os meus tesouros mais preciosos, (agora já não) perfeitos.
Queria só que me ouvisses (de vez em quando) perfeitamente, e percebesses porque não sou perfeita:
Vivi algum tempo (a brincar) nos contos de fadas; construí (muitas vezes) os meus castelos na areia e acabei por (precisar de) construir muros, às vezes altos de mais... Tudo para proteger os meus castelos (de sonhos), perfeitos. Mas mesmo sendo perfeitos, acabavam por ser destruídos por invasores (vezes de mais)... Ondas (más), ventos (invejosos), temporais (cruéis)....
Abandonei os contos de fadas (e as construções)

Queria (mesmo) ser perfeita, mas não sou... Mesmo assim, (ainda) queres brincar comigo?

Sem comentários: